Era Vargas: Linha do tempo

1882    – Nasce, em São Borja (Rio Grande do Sul), Getúlio Dornelles Vargas, no dia 19 de abril, filho de uma família tradicional.

1898 – Aos dezesseis anos, Getúlio Vargas ingressa na carreira militar e se matricula na Escola Preparatória e de Tática de Rio Pardo (RS). No ano seguinte, é arregimentado no 6º Batalhão de Infantaria de São Borja, sendo promovido a 2ºSargento.

1902 – Getúlio Vargas abandona a carreira militar e vai cursar Ciências Jurídicas.

1907 – Forma-se em Direito e assume a Secretaria de Redação do recém lançado jornal O Debate.

1908 – É nomeado Promotor Público do Tribunal de Porto Alegre.

1909 – Getúlio Vargas elege-se deputado estadual, sendo reeleito em 1913 e em 1917.

1922 – É eleito Deputado Federal pelo Estado do Rio Grande do Sul.

1924 – Eleito Líder da Bancada Gaúcha na Câmara dos Deputados.

1926 – Indicado pelo Presidente Washington Luís, assume o Ministério da Fazenda.

1927 – Elege-se Governador do Estado do Rio Grande do Sul.

1929 – Getúlio Vargas candidata-se à Presidência da República.

1930 – Júlio Prestes vence as eleições, em 1º de março. Pululam denúncias de fraude. Em 26 de julho, o candidato da Aliança Liberal à vice-presidência, João Pessoa, é assassinado, agravando o quadro de tensão política. Em 3 de outubro, é deflagrado, em Minas Gerais e no Rio Grande do Sul ,um movimento revolucionário, que depõe Washington Luís em 24 de outubro. Em 3 de novembro, Getúlio Vargas é escolhido como chefe do Governo Provisório. São criados o Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio e o Ministério da Educação e Saúde Pública.

1932 – Famílias tradicionais de São Paulo e a crescente burguesia da metrópole contrapõem-se a Vargas e organizam a Revolução Constitucionalista, lançada em 9 de julho. Após quase três meses, o movimento é subjugado pelas tropas legalistas. Getúlio Vargas cria a Previdência Social e a Carteira de Trabalho, e estende o direito de voto às Mulheres.

1934 – Em 14 de julho, é promulgada uma nova Constituição e, no dia seguinte, Getúlio Vargas é eleito, indiretamente, Presidente da República.

1935 – Comunistas liderados por Luís Carlos Prestes insuflam um levante (Coluna Prestes), em resposta à decisão do governo de colocar a Aliança Nacional Libertadora (ALN) na ilegalidade.

1937 – Vargas dissolve o Congresso Nacional, abolindo o Poder Legislativo e todos os partido políticos, instituindo o ESTADO NOVO e outorgando uma nova Constituição.

1938 – Integralistas da AIB invadem o Palácio Guanabara e tentam, frustadamente, depor Getúlio Vargas.

1942 – O Governo Brasileiro declara guerra contra a Alemanha, Itália e Japão.

1943 – Getúlio Vargas aprova, por decreto, a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

1944 – O Brasil envia tropas para a Itália, conhecidas por Força Expedicionária Brasileira (FEB).

1945 – O Governo Vargas acaba com a censura à imprensa, confere anistia aos presos políticos e restabele eleição direta para Presidente da República. Cria, em 15 de maio, o Partido Trabalhista Brasileiro. Surge o Movimento Queremista, que defende a permanência de Vargas no poder, em contraposição a forças contrárias ao Estado Novo. Em 29 de outubro, o Presidente Getúlio Vargas é deposto pelos militares. Nesse mesmo ano, é eleito Senador pelos Estados do Rio Grande do Sul e de São Paulo e Deputado Federal por 7 Estados. Acaba optando pelo cargo de Senador.

1946 – Início das atividades da CSN – Companhia Siderúrgica Nacional, implantada por Vargas, em Volta Redonda, Estado do Rio de Janeiro. Promulgada a nova Constituição Brasileira, a mais democrática até então.

1950 – Eleições presidenciais diretas. Getúlio Vargas volta ao poder, agora eleito pelo PTB, e assume no ano seguinte.

1953 – Getúlio Vargas indica João Goulart para o Ministério do Trabalho. O novo Ministro propõe dobrar o valor do salário mínimo, o que provoca forte reação oposicionista.

1954 – o Governo Vargas cria a PETROBRÁS. Militares contrários à proposta de Jango de dobrar o salário mínimo formulam o “Manifesto dos Coronéis” e o entregam ao Ministro da Guerra. Vargas, pressionado, demite Jango. Uma forte oposição a Vargas o faz procurar amparo na classe trabalhadora, e este concede 100% de aumento no salário mínimo. A oposição encaminha, no Congresso, um pedido de impeachment, porém, sem lograr êxito. É iniciada uma violenta campanha contra o Governo, principalmente por setores da imprensa conservadora, liderada por Carlos Lacerda. No dia 5 de agosto, Lacerda é vítima de um atentado, que vitima o Major da Aeronáutica Rubens Vaz. A crise política fervilha. Indicações de que Gregório Fortunato, segurança pessoal de Vargas, estava envolvido diretamente no atentado, faz a pressão da oposição aumentar. Fortunato é preso. O Congresso exige a renúncia do Presidente. Getúlio Vargas escreve a Carta-Testamento e suicida-se – com um tiro no coração – em seu quarto, no Palácio do Catete, na manhã do dia 24 de agosto.

Retirado de : http://www.ptb.org.br/?page=ConteudoPage&cod=12436

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s